15.5 C
Brasília
19/09/2021
InícioNotíciasBrasilPresidente da CLDF pede que militares, civis e bombeiros sejam vacinados contra...

Presidente da CLDF pede que militares, civis e bombeiros sejam vacinados contra Covid 19

“Faço um apelo aqui ao diretor-geral da polícia, à Secretaria de Saúde para que possa colocar como prioridade ‘zero’, os policiais militares, civis e os bombeiros”, disse o deputado.

Por Cláudio Ulhoa

O pedido foi feito na sessão desta quarta-feira (17), quando Rafael Prudente salientou que as categorias, assim como os médicos e enfermeiros, também estão expostos à doença

Na sessão da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), desta quarta-feira (17/3), o presidente da Casa, o deputado Rafael Prudente (MDB), fez uso da palavra para pedir às autoridades competentes para que os policiais militares e civis possam entrar no grupo daqueles que tem prioridade na vacinação contra a Covid 19.

Conforme destacou o deputado, assim como os médicos e enfermeiros, que estão na linha de frente no combate à pandemia, os policiais e bombeiros também encontram-se na mesma situação.

“Faço um apelo aqui ao diretor-geral da polícia, à Secretaria de Saúde para que possa colocar como prioridade ‘zero’, os policiais militares, civis e os bombeiros”, disse o deputado.

Nesta primeira etapa, os grupos prioritários definidos pela Secretaria de Saúde local foram os mesmos que o Ministério da Saúde recomendou, ou seja, os profissionais de saúde da rede pública e privada que atuam na linha de frente, passando também pelos idosos que residem em asilos e a população indígena.

Para o presidente da CLDF, os profissionais de segurança pública também trabalham na linha de frente no combate à doença

Num primeiro momento, os bombeiros e os professores foram colocados como prioritários, mas a ideia não se concretizou. Agora, o deputado tenta outra vez colocar as forças de segurança como público-alvo, já que, segundo ele, o contato desses profissionais como pessoas infectadas como, por exemplo, na abordagem de pessoas em festas clandestinas ou até mesmo em bares seria maior se comparado com os professores, que também solicitam a inclusão da categoria como grupo prioritário a receber a vacina.

“Estão se expondo muito todos os dias desde o início da pandemia eles estão nas ruas”, afirmou Prudente.

Fonte: Cláudio Ulhoa – Jornalista, membro da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno – ABBP

Redaçãohttps://bloginformandoedetonando.com.br/
Mandando bala na notícia, informando e detonando de uma forma que você nunca viu! Obrigado por acessar nosso blog!

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -