21.6 C
Brasília
16/08/2022
InícioNotíciasDistrito FederalMoradores de Vicente Pires querem fechar EPTG e provocar o caos na...

Moradores de Vicente Pires querem fechar EPTG e provocar o caos na cidade que já é um inferno!

Por Toni Duarte

Há quem diga que Vicente Pires é a “Brumadinho do DF”, cuja tragédia econômica quebrou o comércio e desempregou mais de duas mil pessoas nos últimos três anos por causa da lama, da poeira e dos buracos, heranças malditas deixada pelo Governo Rollemberg. Por causa disso, um grupo de moradores se movimenta para cobrar a responsabilidade do novo governo, com um ato de protesto marcado para esta sexta-feira

Com apenas 44 dias no comando do Buriti, o governador Ibaneis Rocha (MDB), terá que pagar uma conta que não é sua para os 75 mil moradores de Vicente Pires que já não aguentam mais viver em uma cidade atolada na lama que piora o trânsito e invade as casas. Vicente Pires virou um buraco só.

Nesta sexta-feira (15/02), turbinados por “forças ocultas de oposição”, um grupo de moradores vai travar a EPTG, principal via de acesso que atende Águas Claras, Taguatinga e Ceilândia, bem como interditar a entrada e saída da cidade que já vive os últimos três anos num verdadeiro inferno. A convocação está sendo feita por grupos de WhatsApp.

Apesar da explosão da indignação, sentimento natural dos moradores da abandonada Vicente Pires, porém o protesto programado para sexta não terá nenhum resultado prático, já que a bagaceira deixada pela gestão passada não pode ser solucionada por um passo de mágica.

Daniel de Castro, administrador regional da cidade, lugar em que mora há mais de 12 anos, disse ao Radar nesta quarta-feira (13), que está preocupado com esse tipo de movimentação que tem o propósito apenas de provocar ainda mais o caos e não vai resolver a situação deixada pelo governo passado.

“Desde que assumiu o governo, o governador Ibaneis Rocha tem se concentrado nos problemas de Vicente Pires e tem exigido atenção redobrada minha, como administrador regional, e de todos os órgãos envolvidos nas demandas da cidade”, afirmou Daniel de Castro.

Ele adiantou que as obras da Rua 3, Rua 8 e Rua 10, não tem como ser retomadas neste período chuvoso. As empresas contratadas pelo governo Rollemberg caíram fora e abandonaram tudo. O governador exigiu o retorno delas para concluir as obras iniciadas.

“O nível de stress na cidade é alto. Sou um gestor que primo pelo diálogo. Os moradores de Vicente Pires sabem que essa conta não é de Ibaneis Rocha que está no governo um pouco mais de 1 mês e que tem compromisso de resolver os problemas de Vicente Pires”, explicou Castro.

Ele avaliou que a situação de caos provocada pelo governo passado, feriu de morte a economia da cidade. Muita gente preferiu vender ou abandonar sua casa e mudar para outro lugar.

Parte do comércio, segundo ainda o administrador, teve que fechar as portas e migrar para outras cidades, outros faliram o que causou o desemprego de mais de dois mil trabalhadores, segundo dados da Associação Comercial de Vicente Pires.

Daniel de Castro, no entanto, acredita que aos poucos Vicente Pires vai atingir a sua normalidade por ser uma cidade forte e bastante atrativa para o comércio.

“A ordem do governador Ibaneis é a de destravar de imediato o setor produtivo para criar mil postos de trabalho”, afirmou.

Visão Radar

Não precisa ser engenheiro ou vidente para afirmar que a causa de todas as tragédias ocorrida em Vicente Pires, foram as malfeitas obras eleitoreiras do ex-governador derrotado Rodrigo Rollemberg.

O governo socialista deu início às obras de captação de águas pluviais de Vicente Pires em 2015, mas esticou os prazos para coincidir com as eleições do ano passado. A ideia era faturar eleitoralmente.

Na pressa para entregar a obra já em setembro, em plena campanha eleitoral, o governo rezava para não chover antes do dia da eleição.

Mais tudo deu errado. São Pedro não colaborou e abriu as torneiras inundando tudo. Rollemberg se lascou.

Foram enterrados R$ 463 milhões, para construir um sistema de escoamento de águas, que faz parte do processo de regularização de Vicente Pires. A situação é de calamidade urbana.

O movimento de um grupo de moradores, marcado para esta sexta-feira, que tem por trás o dedo político para desqualificar o empenho do administrador Daniel Castro, pode alcançar um único objetivo: o de engarrafar o trânsito e atazanar mais ainda a vida dos sofridos moradores da cidade. Vicente Pires não merece isso!

Fonte: Radar DF

Redaçãohttps://bloginformandoedetonando.com.br/
Mandando bala na notícia, informando e detonando de uma forma que você nunca viu! Obrigado por acessar nosso blog!

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -