13.5 C
Brasília
18/05/2024
InícioNotíciasDistrito FederalIbaneis reúne aliados para definir nomes e regras para a transição

Ibaneis reúne aliados para definir nomes e regras para a transição

Por Isadora Teixeira

Governador eleito se encontrou, na tarde desta segunda (5/11), com representantes dos 22 partidos da sua base de apoio

O governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) se reuniu com presidentes regionais de partidos na tarde desta segunda-feira (5). O futuro chefe do Executivo local disse que cada uma das 22 legendas da base de apoio poderá recomendar duas pessoas para integrar as comissões de transição. “Vão ter direito de indicar pessoas tanto de perfil político como técnico”, explicou.

Entretanto, Ibaneis reforçou que não aceitará indicação para os grupos de planejamento, segurança, educação e saúde. “São áreas que vou colocar pessoas nas quais confio porque preciso de resultados imediatos, como fiz com a Secretaria de Obras”, disse.

Mais sobre o assunto:

Segundo ele, embora todas as legendas possam apresentar nomes para diferentes temas, algumas manifestaram preferência de atuar em setores específicos. “Por exemplo, o PPL quer atuar em trabalho; o PRB, em tecnologia; e o PPS, em cultura e educação”, detalhou.

Ibaneis sinalizou que os indicados podem ter espaços na gestão. “Quero discutir as propostas, saber o custo e as melhorias que podem ser feitas. Se tiver o perfil para executar determinado projeto, vai ter participação no governo sim”, pontuou. Segundo ele, os nomes serão entregues nesta terça (6).

O emedebista também quer chamar representantes de sindicatos e associações a fim de chegar ao início do mandato com propostas consolidadas.

Os partidos que apoiaram Ibaneis no segundo turno e terão espaço na transição são: MDB, Avante, PP, PSL, PPL, PSC, PSDB, PSD, DC, Podemos, Patriota, PMB, PHS, PRB, PRP, PPS, SD, PTB, PR, PDT, Rede e PMN. No encontro desta segunda (5), representantes de 18 siglas estavam presentes.

Administrações regionais

Ibaneis voltou a afirmar que irá nomear administradores regionais a partir da participação dos moradores. No entanto, alertou que o processo não será de votação direta. “A população tem um pouco de pressa. Não vou fazer eleição em cada uma das cidades”, disse. Ele explicou que ainda serão definidos os critérios de cada região.

“A nossa pretensão é abrir inscrições de quem pretende ser administrador e vamos estabelecer os critérios para eleição. Vamos fazer isso em parceria com o TRE, garantindo o voto secreto”, afirmou o futuro gestor.

O governador ressaltou que deseja ter uma administração em cada região com mais de 30 mil habitantes. “É importante que a pessoa tenha convívio com a sociedade e seja referência na cidade. Não vou aumentar a estrutura. Quero diminuir ao enxugar e dar instrumentos de gestão”, ponderou.

Saúde

Sobre possível divisão da Secretaria de Saúde em atenção básica e grandes centros de atendimento, Ibaneis esclareceu ter ouvido que esse sistema é adotado em alguns estados e solicitou análise da equipe. “Acho que fui mal compreendido. Coloquei que eles analisassem se isso realmente é viável, mas não tenho nada fechado nesse sentido. Se eu tiver um secretário de Saúde que me garanta atendimento desde a base até o hospital, está resolvido o problema”, concluiu.

Fonte: Metrópoles

Redação
Redaçãohttps://bloginformandoedetonando.com.br/
A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários. Obrigado por acessar o portal!

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -