26.5 C
Brasília
28/02/2024
InícioNotíciasDestaquesOperação da PF no MDB/DF teve como base depoimento de cabo eleitoral

Operação da PF no MDB/DF teve como base depoimento de cabo eleitoral

Por Lilian Tahan  & Gabriella Furquim

A operação da Polícia Federal de busca e apreensão na sede do MDB no Distrito Federal, realizada na terça-feira (21/05/2019), teve como base o depoimento de uma mulher que foi cabo eleitoral contratada pela candidata à distrital Kadija de Almeida Guimarães.

A prestação de contas da empresária chamou atenção dos investigadores. Kadija afirmou ter gasto R$ 573 mil sendo R$ 423 mil do diretório regional do MDB, além de R$ 150 mil do comando nacional da sigla. Ela, no entanto, só recebeu 403 votos.

Em depoimento à PF, a testemunha teria afirmado que, apesar de ter recebido um cheque da empresária pelo trabalho realizado durante as eleições, nunca a conheceu. Assinalou, ainda, ter pedido votos para outros candidatos: Ibaneis Rocha (MDB), eleito governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli (MDB), derrotado na disputa por uma vaga de deputado federal, e Cristiano Araújo (PSD), não reeleito para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

Além de Kadija, outra candidata do MDB é alvo do inquérito: a psicóloga Dolores Ferreira também disputou uma mandato no parlamento local. Recebeu, do partido, R$ 502,2 mil, mas só obteve 551 sufrágios.

Candidaturas laranjas

Como revelou a Grande Angular, na terça-feira (21/05/2019), policiais federais realizaram operação de busca e apreensão na sede do MDB-DF, que fica no Edifício Assis Chateaubriand, no Setor de Rádio e TV Sul.

A suspeita é de que o partido tenha lançado candidaturas laranjas apenas para cumprir a cota de 30% estipulada pela legislação eleitoral e desviar os recursos públicos destinados a mulheres para a campanha de outros candidatos da sigla.

Dois agentes e um delegado ficaram cerca de 20 minutos no local e levaram pastas com documentos. A PF também esteve em um endereço residencial ligado ao MDB.

O MDB/DF informou que só comentará o caso após ter acesso ao inquérito da PF. O advogado da legenda, Herman Barbosa, protocolou procuração solicitando informações sobre o fato. A Polícia Federal não deu detalhes sobre a operação.

Cristiano Araújo afirmou ter “ficado surpreso” e que desconhece a denúncia. A empresária Kadija de Almeida Guimarães não foi localizada.

Fonte: Metrópoles

Redação
Redaçãohttps://bloginformandoedetonando.com.br/
A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários. Obrigado por acessar o portal!

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -