27.5 C
Brasília
19/09/2021
InícioNotíciasBrasilEm novo surto de ‘mimimi’, Maia diz que acabou diálogo com Paulo...

Em novo surto de ‘mimimi’, Maia diz que acabou diálogo com Paulo Guedes

Presidente da Câmara usava assessores do ministro para encaminhar suas ‘demandas’

Em mais um surto de “mimimi”, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), decidiu oficializar publicamente o rompimento de relações com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Na verdade, Maia e Guedes não se falam há meses, desde abril, quando o presidente da Câmara chegou a ofender o ministro em declarações públicas.

Desde então, o deputado tem tentado desqualificar a autoridade do ministro, escolhendo interlocutores na equipe econômica de Paulo Guedes para tratar de assuntos que dizem respeito ao titular da pasta.

Desse modo, Maia passou a despachar com secretários do Ministério da Economia, sem explicar qual o seu interesse nessa rotina ou se pretendia com isso influir em suas decisões.

O ministro considera que é ele o interlocutor do Ministério da Economia junto a autoridades dos outros poderes, por isso orientou seus assessores e evitarem esse tipo de contato.

Maia anunciou que passará a tratar com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, sobre votações importantes, como a reforma administrativa, porque Guedes proibiu o diálogo dele com os secretários da área econômica.

O “mimimi”

Rodrigo Maia fez a declaração de rompimento logo após ter recebido a proposta de reforma administrativa do governo das mãos do ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, que representou o presidente Jair Bolsonaro.

O deputado queria Guedes no ato, talvez para que o ministro ouvisse novos desaforos, como ocorreu em outras ocasiões desde que os dois pararam de se falar, em abril.

Enquanto recebia o projeto de reforma, o presidente da Câmara tornou público o rompimento com Guedes alegando que o ministro teria proibido integrantes de sua equipe de despachar com ele.

“Eu não tenho conversado com o ministro Paulo Guedes. Ele tem proibido a equipe econômica de conversar comigo. Ontem (anteontem), a gente tinha um almoço com o Esteves (Colnago, chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais) e com o secretário do Tesouro (Bruno Funchal) para tratar do Plano Mansueto, e os secretários foram proibidos de ir à reunião”, disse Maia.

“Foi encerrada a interlocução”, esperneou o presidente da Câmara, sem explicar qual o seu interesse em influenciar decisões no Ministério da Economia.

Fonte: Diário do Poder

Redaçãohttps://bloginformandoedetonando.com.br/
Mandando bala na notícia, informando e detonando de uma forma que você nunca viu! Obrigado por acessar nosso blog!

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -